Logística

logo do senac

Custos de armazenagem

São os custos de acondicionamento das mercadorias e de movimentação dentro dos armazéns. Representam alguns exemplos destes custos o aluguel do armazém, a mão de obra dos funcionários, os equipamentos utilizados para movimentação de cargas e a depreciação dos equipamentos.

Tanto as indústrias como as empresas comerciais desenvolvem custos de armazenagem. Na indústria, esse tipo de custo tem crescido devido a maior diversificação na fabricação de produtos. Esse fator eleva o número de pequenos pedidos e diminui os grandes. Dessa forma, o número de pedidos processados é maior, sendo a movimentação e a separação de material nos armazéns proporcionalmente mais intensa.

No comércio, os custos de armazenagem são relevantes da mesma forma, principalmente, porque os espaços nas gondolas e a reposição de mercadorias também são considerados como movimentação e acondicionamento de mercadorias, ou seja, são custos de armazenagem.

Os custos de armazenagem são indiretos para a empresa, pois estão relacionados com quatro elementos: espaço físico; equipamentos de movimentação; pessoal e tecnologia utilizada.

Alguns exemplos de custos fixos são: salários e encargos; aluguel; depreciação das instalações e dos equipamentos de movimentação. Com relação aos custos variáveis de armazenagem, podemos citar como exemplos a energia, a manutenção de estoques, a obsolescência, a perdas de produtos e os impostos.

Podemos perceber que a maior parte dos custos de armazenagem são fixos e, em relação à operação da empresa, todos os custos de armazenagem são indiretos, seja ela indústria ou comércio.

Essa grande participação dos custos fixos faz com que os custos de armazenagem sejam equivalentes à capacidade máxima de armazenagem, ou seja, independentemente da quantidade de mercadorias armazenadas os principais custos continuarão sendo os mesmos. Por exemplo: se um armazém tem capacidade para 1000 mercadorias, os custos de armazenagem serão quase os mesmos se o armazém tivesse 100 mercadorias ou 1000 mercadorias armazenadas.

Essa particularidade dos custos de armazenagem torna ainda mais difícil a tomada de decisão para a redução deles, pois as empresas enfrentam uma grande sazonalidade na armazenagem durante os meses, ou até mesmo durante o dia ou a semana.

Como em alguns dias ou meses a empresa tem que operar com sua capacidade máxima de armazenagem, isso faz com que ela disponha de uma grande capacidade de armazenagem, a qual não é utilizada todos os dias ou meses. Esse fato eleva os custos de armazenagem ou faz com que a empresa apresente uma baixa capacidade de atendimento. Ou seja, reduzir os custos, em épocas de grande demanda, pode gerar um aumento de falhas, atrasos e avarias nas mercadorias.

Por isso que, para reduzir os custos, é sempre importante buscar medidas para tentar diminuir essas variações de demanda, principalmente se elas são conduzidas pela própria empresa, por meio de datas de compras de mercadorias, cotas de vendas estipuladas aos vendedores, fornecimento não contínuo dos seus clientes fixos etc.

Existem dois instrumentos que podem auxiliar na administração e na redução dos custos de armazenagem: os indicadores de desempenho e os recursos do warehouse management systems (WMS).

Podemos citar como exemplos de indicadores de desempenho de armazenamento:

Esse indicador é calculado dividindo a quantidade de pedidos que saíram do armazém para a entrega pela quantidade de pedidos realizado pelos clientes.

Taxa de atendimento = quantidade de pedidos que saíram do armazém ÷ quantidade de pedidos realizado pelos clientes

Dessa forma a empresa pode identificar o nível de serviço que ela pode prestar aos seus clientes.

Para entendermos melhor esse indicador vamos analisar um exemplo prático:

Imagine que uma empresa realizou 50 entregas de mercadorias em uma semana, e a quantidade de pedidos realizados foi igual a 55. Qual é a taxa de atendimento dessa empresa?

Taxa de atendimento = 50 ÷ 55

Taxa de atendimento = 0,9090 = 90,90%

O nível de atendimento ao cliente é de 90,90%, ou seja, essa empresa, com a sua capacidade de armazenagem atual, consegue atender 90,90% dos pedidos feitos pelos seus clientes.

Esse indicador mostra quantas vezes o estoque foi reposto em um determinado período de tempo. Para calcular o giro do estoque, primeiramente, é preciso encontrar a média do estoque, mediante a soma do estoque inicial com o estoque final, para, depois, dividir essa soma por 2.

Média do estoque = (estoque inicial + estoque final) ÷ 2

Agora, para achar o giro do estoque basta dividir o número de produtos vendidos pela média de estoque:

Giro de destoque = quantidade de produtos vendidos ÷ média do estoque

Vamos ver um exemplo prático desse indicador, mediante a análise da operação de um mês da empresa X?

A empresa X iniciou o ano com 50.000 unidades no seu estoque e finalizou com 5.000 unidades. Qual é o giro do estoque a empresa?s

Para isso, devemos calcular a média do estoque e depois o giro dele:

Média do estoque = (estoque inicial + estoque final) ÷ 2

Média do estoque = (50.000 + 5.000) ÷ 2

Média do estoque = 55.000 ÷ 2

Média do estoque = 27.500

Giro de destoque = quantidade de produtos vendidos ÷ média do estoque

Giro de destoque = 45.000 ÷ 27.500

Giro de estoque = 1,63

O estoque da empresa girou duas vezes ao longo do ano, ou seja, a empresa renovou seu estoque duas vezes no ano.

Esse indicador complementa o giro do estoque, mostrando de quanto em quantos dias aconteceu movimentação, ou seja, a renovação do estoque. Para calcular o tempo médio do giro do estoque basta dividir o número de dias do período analisado pelo giro do estoque nesse mesmo período.

Tempo médio do giro do estoque = dias do período ÷ giro do estoque

Vamos analisar o exemplo da empresa X:

Já sabemos que o giro do estoque da empresa X é 1,63. Também compreendemos que o período analisado contempla um ano. Considerando que um ano tem 365 dias, qual é o tempo médio do giro do estoque da empresa X?

Tempo médio do giro do estoque = dias do período ÷ giro do estoque

Tempo médio do giro do estoque = 365 ÷ 1,63

Tempo médio do giro do estoque = 223,926 ≈ 224

O resultado evidencia que a renovação do estoque da empresa X aconteceu, aproximadamente, a cada 224 dias.

Dentre os elementos que compõem os custos logísticos o de processamento é o que detém menor participação, mas, mesmo assim, tem sua importância, porque a satisfação do cliente com a logística está relacionada com a satisfação em relação ao processamento do pedido.

Quando tratamos de processamento do pedido, é importante pensar duas etapas: adquirir mercadorias para o estoque, seja mediante compra ou fabricação, e a venda de mercadorias, que são os pedidos feitos pelos clientes.

Segundo Castiglioni (2012) dos 100% dos custos de processamento de pedidos, 29% são com processamento; 33% são com pessoal; 25% são com materiais e 13% representam outros custos.

Mas quais são realmente os custos de processamento do pedido?

O processamento do pedido acontece em duas etapas, portanto os custos de processamento são divididos em relação a elas:

Salários e encargos do pessoal de compras; custo de oportunidade dos equipamentos utilizados no processo de aquisição (fax, computador etc.); custo de depreciação desses equipamentos; custo do aluguel do espaço ou custo de oportunidade do imóvel utilizado; energia, telefone, internet e materiais utilizados (papel, caneta etc.).

VOLTAR