Logo Fecomércio

Gestão de armazenagem

Picking

O picking, também conhecido por order picking (separação e preparação de pedidos) é um processo que consiste na coleta dos produtos no armazém (podendo ser diferentes em categoria e quantidades), de acordo com o pedido de um cliente, de forma a satisfazer a solicitação (Rodrigues, 2007).

Portanto, ainda segundo Rodrigues (1999), as ações de picking se tornaram importantes para o bom andamento da logística e para a evolução dos processos de movimentação das empresas. Assim, a organização da metodologia de separação de pedidos, o planejamento da quantidade de operadores por pedido, o estabelecimento de números diferentes de produtos pegos em cada coleta e a definição dos períodos para agendamento ou agrupamento de pedidos durante um turno, se tornaram as ferramentas-chave para a definição da estratégia e para desenvolvimento desta atividade na organização.

O fluxo das atividades, no entanto, envolve diferentes setores responsáveis por coletar o conjunto correto de produtos, em quantidades corretas, desde a armazenagem, até o cliente final. Desta forma, percebe-se que as ações de picking envolvem as atividades de armazenagem, as quais veremos, em detalhe, a seguir.

Atividades na armazenagem

Vamos relacionar picking com gestão de armazém e vamos conhecer os processos logísticos que estão envolvidos. Para iniciar é fundamental destacar a movimentação interna, a qual está relacionada com ação responsável pela coleta das quantidades corretas dos produtos da área de armazenagem, para satisfazer as necessidades do consumidor. O que contempla a coleta do pedido, mais conhecida pela separação e pela preparação de pedido.

A figura demonstra a percentagem de ocupação de tempo de um operador de picking. Ela está subdivida em 10% para procura de produtos; 20% para coleta de produtos; 10% para documentação e contagem e 60% para a movimentação.

Figura 1 – Percentagem de ocupação de tempo de um operador de picking
Fonte: Adaptado de: <http://fateclog.blogspot.com.br/2011/11/picking-o-que-e-como-funciona.html>.

Para melhor evidenciarmos o nosso conteúdo, segue alguns princípios para o desenvolvimento do picking.

Princípios para melhoria do processo

Para que haja progresso nesse processo, é preciso um bom manuseio, priorizando os produtos de maior giro na armazenagem e observando os produtos que mais são movimentados no depósito. Para esta ação, seria interessante a utilização de uma ferramenta de estoques com a curva ABC, ou princípio da lei de Pareto. De acordo com essas ferramentas, os produtos de maior movimentação devem ficar nas posições de mais fácil acesso dentro do setor de estoques.

Do mesmo modo, as documentações devem ser de fácil operacionalização, pois apresentam as orientações peculiares para o operador e algumas informações importantes. Tudo deve ser destacado em um documento de leitura simplificada, mencionando a localização do produto, a descrição dele e as quantidades requeridas.

Também, a organização dos pedidos deve ser feita de acordo com as configurações físicas do produto. Assim, cada pedido enviado para a área de picking é movimentado de acordo com as moderações de localização dos produtos em movimento, juntamente com a diminuição do deslocamento dos operadores logísticos, devido à proximidade dos produtos.

Para preservar uma maneira eficiente de localização de produtos, será preciso:

  • Sistema de localização atualizado
  • Padronização de endereços
  • Tecnologias para acelerar a localização de uma posição dentro da armazenagem

Mas, o processo deverá ter um relevante cuidado, pois o operador deve ser avaliado pelos erros, considerando sempre a separação dos pedidos. É necessário averiguar constantemente se o erro decorre do operador ou do sistema de gestão. Para tanto, evita-se a contagem de produtos durante a coleta, pois a apuração aumenta substancialmente o tempo de picking.

Por fim, é possível adotar a exclusão de documentos físicos, com a utilização de códigos de barra, sistemas de reconhecimento de voz e ferramentas com terminais de radiofrequência.

Um exemplo bem prático está na utilização das etiquetas de radiofrequência, também chamadas de RFID, como mostra a figura 2:

A figura demonstra uma unidade de radiofrequência.

Figura 2 – Etiqueta de radiofrequência
Fonte: <http://bartech.cz/reseni/technologie-rfid/>.

Técnicas de picking

Clique ou toque nos títulos para expandir o conteúdo.

É o processo em que cada participante separa um pedido por vez. Esta forma de organização é bastante utilizada e simples. A vantagem está na integridade do pedido que nunca é prejudicada e na redução dos erros, pois apenas um pedido é manuseado por vez. A grande desvantagem está na baixa produtividade, decorrente do tempo excessivo que é gasto com a movimentação e com o deslocamento do operador que separa o pedido.

Nesta modalidade, o separador de pedidos dedica-se a separar os itens individuais em uma zona que lhe foi atribuída, um pedido de cada vez ou em lotes, conforme a demanda. Também, cada operador coleta os itens do pedido que fazem parte de sua seção, deixando-os em uma área de consolidação, onde os itens coletados em diferentes zonas são agrupados, compondo o pedido original. A principal vantagem está na economia de tempo de deslocamento do operador. Como a área de alcance de cada separador é limitada em um espaço menor, o tempo de deslocamento por item individual é reduzida.

Os benefícios adicionais da separação por zonas incluem o conhecimento do dos produtos pelo separador, gerando menos intervenção com outros separadores de pedidos e mais responsabilidade pela produtividade e manutenção dentro da zona. A desvantagem desse método concentra-se nos riscos de erros na separação e ordenação dos pedidos.

Método em que cada operador coleta um grupo de pedidos de maneira conjunta. Ao dirigir-se para o local de estocagem, dentro da armazenagem, o operador coleta o número de itens que completam o seu conjunto de pedidos. Quando essa metodologia é aplicada, ela possibilita uma alta produtividade, mas apenas quando os pedidos possuem pouca variedade de itens (até quatro itens) e são pequenos em termos de volume. A principal vantagem está na redução do tempo de deslocamento. As desvantagens da utilização desse método estão concentradas nos riscos de erros na separação e na ordenação dos pedidos, por parte do separador.

Esta técnica é semelhante ao tipo discreto. Ou seja, cada separador é responsável por um tipo de produto por vez. A diferença está no agendamento de certos números de pedidos ao longo do turno. Regularmente, esse método é utilizado para coordenar as funções de separação de pedidos e despachos.

Abaixo, de forma prática, apresentamos a visão estratégica de cada um dos tipos vistos anteriormente e suas aplicações:

Estratégias de picking

Formas Descrição Aplicações
Discreto Cada operador coleta um pedido por vez, item a item.
  • Unidade de separação de grande volume
  • Alta relação entre SKU’s por pedido/ SKU’s em estoque
Por zona O armazém é segmentado por zonas, e cada operador é associado a uma zona.
  • Grande área de armazenagem
  • Grande variedade de produtos
  • Produtos que exigem diferentes métodos de manuseio ou acondicionamento
Por lote Cada operador coleta um grupo de pedidos de maneira conjunta.
  • Unidade de separação de médio/pequeno volume
  • Pedido com poucos itens
Por onda Cada operador coleta um pedido por vez, item a item.
  • Agendamento de um certo número de pedidos ao longo do turno

Tabela 1 – Comparação das estratégias de picking

Devido à importância dentro dos processos logísticos, o picking é um conjunto de atividades que são essenciais para os processos de distribuição. Inicia-se o com uma lista de pedidos de artigos, depois os produtos devem ser localizados em um depósito correspondente para, por fim, responder satisfatoriamente a uma entrega aos clientes finais.

Mas, se o picking não fosse usado dentro do processo de armazenagem, seria muito difícil que as grandes lojas, o varejo e os armazéns, pudessem preparar os pedidos de forma adequada. Quando ele se desenvolve de maneira eficaz, otimiza a produtividade da empresa e o processo de distribuição.

Esta ferramenta pode se resumir em retirar os produtos agrupados em uma caixa, ou então, coletar essas caixas onde estão reunidos os produtos em um contêiner. Contudo, para que este processo aconteça de forma eficaz, é essencial contar com profissionais preparados e também com máquinas ou aparelhos especiais para transporte simples e rápido. Evidente que a localização dos produtos por unidade ou as caixas precisam estar agrupadas de acordo com o planejado.

Assim, para alcançar os seus objetivos, o processo de picking tem utilizado diversas ferramentas e variadas tecnologias. Por exemplo, em cada posição há uma espécie de lâmpada que tem como objetivo informar a quantidade de unidades que devem ser removidas, ao mesmo tempo que sinaliza o momento do processo. Também, costuma-se utilizar escâner e leitor de código de barras para facilitar e agilizar os processos.

Por essa razão, tente conhecer e procure dominar as novas tecnologias disponíveis. Elas estão no mercado de trabalho, portanto estar apropriado do funcionamento e da aplicabilidade de cada uma delas será um diferencial competitivo dentro da área de logística.